1 – O Grande Desapontamento em 1844

William Miller (ou Guilherme Miller), com base em Daniel 8.14, afirmou que Jesus voltaria a Terra no ano de 1844. Segundo sua interpretação, as 2.300 tardes e manhãs (Dn 8.14) representam 2.300 anos, contados a partir de 457 a.C., ano do decreto de Artaxerxes para reconstruir Jerusalém (Dn 9.24-27). Portanto, para Miller, em Jesus voltaria a Terra em 1844 e purificaria o Santuário corrompido durante a Tribulação.

[1] O tempo se encarregou de mostrar que essa interpretação estava errada, pois, ao chegar o ano marcado, Jesus não voltou. O episódio ficou conhecido como o “Grande Desapontamento”.[2]

 

2 – Início da Doutrina do Juízo Investigativo e da Segunda Etapa da Expiação

Alguns dos desapontados abandonaram a seita, enquanto outros continuaram e deram uma explicação para o problema. Um dos seguidores de Miller, Hiram Edsom, afirmou ter recebido uma visão na qual a profecia foi lhe explicada. Segundo ele, Jesus, em 22 de outubro de 1844, não saiu do lugar santo para vir a Terra, mas para entrar, pela primeira vez, no lugar santíssimo, no santuário celestial, a fim de realizar a segunda etapa da sua obra de expiação.[3]

A partir de então, começou a Doutrina do Juízo Investigativo, a qual afirma que Jesus, a partir de 1844, está investigando as obras dos homens, a fim de ver quais deles participarão da primeira ressureição, que antecederá o Milênio.[4] Jesus também está analisando as obra dos vivos, para determinar quais deles serão trasladados em corpos glorificados para o céu durante sua Vinda.[5]

 

3) Tribulação

Os Adventistas acreditam que a igreja sabatista irá passar pelo período da Tribulação, contudo, eles não especificam a duração deste perído (podendo ser várias anos, ou, até mesmo, dois meses[6]). Para eles, o Anticristo é o “Papado” romano, enquanto o Falso Profeta, é a igreja Protestante que aceita o Domingo (considerado a marca da Besta) como dia de adoração, em detrimento do sábado (considerado o selo de Deus). Os sabatistas sofrerão dura perseguição que culminará na Batalha do Armagedom.

 

4) A Segunda Vinda de Cristo

Depois que o processo da Expiação Celeste e o Juízo Investigativo estiverem concluídos, acontecerá a Segunda Vinda de Cristo à Terra. A Igreja Adventista defende que ela será vísivel, literal e pessoal. Neste momento, os ímpios que não passaram no Juízo Ivestigativo irão ser mortos na Batalha do Armagedom. Os vivos serão trasladados ao céu e os mortos justos, participarão da primeira ressureição de Apocalipse 20.

Apocalipse 20 fala de duas ressureições. Para a igreja Adventista, a primeira ressureição, antes do Milênio, é somente para os santos, que foram aprovados no juízo investigativo; a segunda ressureição somente para os ímpios que serão ressucitados para passarem pelo juízo final e serem aniquilados novamente.

 

5) Milênio

Os vivos justos que serão trasladados e o mortos justos ressuscitados estarão no céu, durante o Milênio. Sua função será a de julgar os ímpios, analisando cada uma de suas ações, para determinar qual será sua condenação, que será registrada no livro da Morte.[7]

Durante este período, a Terra será habitada apenas por Satanás e seus anjos, enquanto os ímpios estarão aniquilados. Somente no final do Milênio, os ímpios serão ressuscitados (i.e., recriados) para se aliar com Satanás numa revolta final.

Durante o Milênio, os pecados dos justos serão colocados sobre Satanás, numa analogia ao bode expiatório que levava o pecado do povo para o deserto. Em outras palavras, para os Adventistas, Jesus representa o bode que pagou o preço dos pecados dos justos; Satanás, o que levou os pecados dos justos para longe.[8]

Os adventistas definem o Milênio da seguinte forma:

“O milénio é um reinado de mil anos de Cristo com os Seus santos no céu, entre a primeira e a segunda ressurreições. Durante este tempo os ímpios mortos serão julgados; a terra estará desolada e vazia, sem habitantes vivos, mas ocupada por Satanás e os seus anjos. No final, Cristo com os Seus santos e a Cidade Santa descerão do céu para a terra. Os injustos mortos serão então ressuscitados e, com Satanás e os seus anjos rodearão a cidade; mas descerá fogo de Deus e os consumirá a todos e purificará a terra. O universo será assim liberto do pecado e dos pecadores para todo o sempre. (Apocalipse 20; I Coríntios 6:2, 3; Jeremias 4:23-26; Apocalipse 21:1-5; Malaquias 4:1; Ezequiel 28:18, 19).[9]

 

6) Terceira Volta de Jesus e Juízo Final

No final do Milênio, Cristo voltará novamente a Terra para estebelcer de uma vez por todas o seu Reino. Ele descerá no Monte das Oliveiras, juntamente com os seus santos. Nesse momento, acontecerá a segunda ressureição, os ímpios ressurretos se juntarão à Satanás e seus anjos, que estavam sozinhos na Terra desolada. Satanás e todos os rebeldes se unirão para atacar Cristo e seu santos.

Nesse momento, acontecerá o Juízo Final, pois todos eles serão queimados com fogo, conforme a o grau de condenação de cada um.[10] Essa guerra resultará na anaquiliação total de todos ímpios, incluse de Satanás e de seus demononios. Isso significa que os Adventistas não acreditam em um inferno de sofrimento eterno, mas na aniquilação total.

 

7) Eternidade

Depois da aniquilação total de Satanás, de seus anjos e dos ímpios, a Terra será completamente renovada e os justos viverão eternamente.

ADVENTISTA23


 

Notas:

[1] O Grande Desapontamento <http://www.cacp.org.br/o-grande-desapontamento/> (07/02/2015)

[2] O Grande Desapontamento <http://www.cacp.org.br/o-grande-desapontamento/> (07/02/2015)

[3] Ellen G. White. O Conflito dos Séculos, p. 422

[4] Ellen G. White. O Grande Conflito. Pg 420

[5] Crenças Fundamentais da Igreja Adventista do Sétimo Dia <http://centrowhite.org.br/iasd/ crencas-fundamentais-dos-adventistas-do-setimo-dia/> (07/02/2015)

[6] David Reagan. Seventh-Day Adventist Eschatology. Pg 13

[7] Ellen White. Maranata! – Meditação Matinal. Pg 333

[8] Ronald Reagan. Seventh-Day Adventist Eschatology. Pg 13

[9] < http://www.adventistas.org.pt/quem-somos/declaracao-oficial-de-crencas-fundamentais> (05/02/2015)

[10] David Reagan. Seventh-Day Adventist Eschatology. Pg 13